MARANHÃOSANTA INÊS E REGIÃO

Aulas na rede estadual de ensino seguem sem previsão de retorno, diz Flávio Dino

Novas ações para o combate ao novo coronavírus no Maranhão foram anunciadas, em entrevista coletiva online, na manhã desta segunda-feira (27), pelo governador Flávio Dino (PCdoB). Entre as medidas, estão a entrega de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em São Luís e Imperatriz para atender pacientes acometidas da Covid-19, além da suspensão das aulas da rede estadual de ensino por tempo indeterminado.

A capital maranhense continua sendo o foco da pandemia no Estado, contendo 90% dos casos de todo o Maranhão. De acordo com o governador Flávio Dino, a cidade de Imperatriz segue com um crescente número de casos do novo coronavírus, sendo a segunda localidade com o maior número de casos.

De acordo com os números apresentados pelo governador Flávio Dino, a taxa de letalidade da Covid-19 no Maranhão é de 5,19%. Ainda segundo Dino, essa taxa está abaixo da taxa nacional, que é de 6,9%.

Em São Luís, a ocupação dos leitos de UTI é de 94,64%. Isso significa que dos 112 disponíveis, 106 estão ocupados. Já nos leitos clínicos, a ocupação é de 65,17%.

Ainda durante a entrevista coletiva, o governador reforçou a importância do uso de máscaras, que passou a ser obrigatório em São Luís desde a última quinta-feira (23). “Essa é uma medida protetiva de enorme importância”, garantiu. Flávio Dino voltou a pedir que as pessoas não se aglomerarem nas portas das agências bancárias e obedeçam o distanciamento social.

Novos leitos

Flávio Dino anunciou a oferta de mais 40 leitos de UTI, ainda nesta semana, em São Luís, sendo 20 no hospital Real, alugado pelo Governo do Estado, e 20 no Hospital Universitário Presidente Dutra (HU-UFMA). O governador anunciou, também, que mais 20 leitos clínicos serão entregues na área Itaqui-Bacanga. Além disso, informou que os leitos do Hospital Português serão incorporados a rede estadual de saúde.

Para a próxima semana, Flávio Dino anunciou para a próxima semana a entrega de mais 130 leitos clínicos no Hospital do Servidor, localizado atrás do Hospital Carlos Macieira, em São Luís.

Rede de saúde

O governador anunciou a compra de 110 novos respiradores que devem chegar ao Maranhão ainda nesta semana. Segundo Flávio Dino, esses respiradores servirão para que seja possível montar ainda mais leitos de UTI.

Em decreto que será editado ainda hoje (27), o governo do Estado irá acionar as instituições que possuem curso de Medicina para que apliquem a diretriz do governo federal para realizar formatura antecipada de estudantes para que estes ajudem o Estado no enfrentamento da pandemia.

Além disso, o governador informou que começou hoje (27) um trabalho com a participação de estudantes do último ano de Medicina para identificar casos leves e trabalhar na atenção básica. Esses estudantes serão bolsistas do governo do Estado.

Hospitais de Campanha

Como já anunciado, o governador voltou a falar sobre os hospitais de campanha no Maranhão. O primeiro anunciado será montado na cidade de Açailândia, em parceria com a empresa Vale. Já o segundo hospital, será instalado em São Luís, no Multicenter Sebrae, com capacidade para 200 leitos. A entrega desse hospital na capital maranhense será feita em até três semanas.

Retorno das aulas

O último decreto editado pelo governador Flávio Dino prorrogou as aulas, da rede pública e privada, até o próximo dia 12 de maio. Entretanto, durante a entrevista coletiva, Dino informou que muito provavelmente esse prazo será estendido, não tendo previsão para o retorno das atividades na rede estadual de ensino, tendo em vista a larga expansão de casos do novo coronavírus no Maranhão

Com relação a rede privada, o governador disse que escolas e pais precisam dialogar para chegarem a uma medida que seja segura para os estudantes e colaboradores.

Serviços não essenciais

Está prevista para o dia cinco de maio a volta gradual dos serviços não essenciais em São Luís. Entretanto, o governador informou que essa medida pode ser revista, visto os indicadores cada vez mais preocupantes, cada vez mais graves da evolução da pandemia no Estado.

Sobre o lockdonw, que é uma medida mais restritiva do funcionamento de serviços não essenciais, Flávio Dino disse que o Maranhão segue para esse caminho. Entretanto, o governador voltou a dizer que essa medida vai ser analisada de acordo com a evolução dos casos e da oferta de leitos.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar