Cultura maranhense é celebrada em desfiles na Passarela do Samba

Por: William Junior, em 01 /03 /2017, ás12h03

Tradições genuinamente maranhenses, a Passarela do Samba abriu alas para mais uma noite de Blocos Organizados e Escolas de Samba, além das Alegorias de Rua: Tijupá, Casinha da Roça, Tapera e Corso das Virgens. Pelo sambódromo já passaram também Turmas de Samba, Blocos Tradicionais que, assim como os Organizados, as Alegorias de Rua, Tribos de Índio e Blocos Afros, só existem no Maranhão. A programação do “Carnaval de Todos” , promovido por meio de parceria entre a Prefeitura de São Luís e o Governo do Estado, tem encantado as familias que participam da festa na Passarela do Samba desde a última sexta-feira.

oooo

Na segunda-feira (27) participaram do último dia de Concurso da Passarela do Samba 2017 os Blocos Organizados: Os Gorjeadores, Pau Brasil, Kanto Kente, Turma do Saco, Vila Izabel e Dragões da Madre Deus. Estes blocos foram acrescentados aos desfiles da Passarela quando esta ainda acontecia na Praça Deodoro, sendo uma evolução dos antigos blocos de sujo da cidade, que eram quando amigos se encontravam para festejar nas ruas de forma espontânea.

Dança, comissão de frente, alegorias, adereços, samba-enredo, mestre-sala e porta-bandeira, bateria, alas, carros alegóricos e baianas abrilhantaram a noite com as Escolas de Samba que destacaram, em sua maioria, elementos da cultura maranhense. A primeira a se apresentar foi a Mocidade Independente da Ilha do bairro Cohab, com o tema “Porto de Itaqui: Progresso, Lenda e Mistérios”. Em seguida, a Túnel do Sacavém fez referência a todas as mulheres com destaque para aquelas que marcaram a história do Brasil e do mundo, sob o enredo “A outra metade do céu, as mulheres na história e no coração”. Do O Imparcial

Acompanhe mais notícias em www.portalpindare.com.br. Siga nossa página no

Facebook.