“Eu peguei o arpão e lancei nele, mas não com intenção de matar”, diz assassino de homem em Pindaré Mirim

Por: William Junior, em 24 /10 /2019, ás18h58

Se entregou a Polícia Civil na última terça-feira(22) Railson Brandão Dias de 20 anos de idade, suspeito de assassinar no inicio do mês de setembro, Arinaldo Silva de Paiva em Pindaré Mirim. Ao se entregar, a delegada de Pindaré Mirim, Claudia Maciel, deu cumprimento ao mandado de prisão preventiva que estava aberto contra ele.

O suspeito está totalmente diferente.

O suspeito está totalmente diferente.

Em entrevista, Railson Brandão disse que agiu em legítima defesa e disse que a vítima queria ter relações sexuais com ele.

Ele me pediu um copo d’agua eu fui, o celular tava tocando do lado de fora e não teve como escutar as passadas dele vindo atrás de mim. Eu peguei o litro, quando eu vou virar atrás de mim ele já estava atrás de mim terminando de tirar a bermuda e dizendo que eu iu porque iu fazer relações com ele. E ele tinha que fazer essa relação comigo que eu era obrigado. Eu disse que não sou obrigado sai de perto de mim que eu vou gritar e ele disse ‘não vai não, não vai não, você está sozinho aqui’ que não tem como ninguém te socorrer.”

desaparecidopindare

Railson Brandão contou detalhes do momento do assassinato.

“Ele pegou logo a faca que estava em cima da mesa na sala, que deu tempo de eu correr do quarto para sala, a casa estava em reforma, foi o tempo que eu sair até na cozinha. Foi quando ele pegou a faca e continou com as ameaças, me agrediu duas vezes, tem as cicatriz em mim, que eu cair no chão e eu peguei o arpão de matar arraia que meu pai é pescador aí eu lancei contra ele, mas não com a intenção de matar porque não era minha intenção. Se eu não fizesse com ele, ele ia fazer comigo. O primeiro eu botei no pescoço dele mas não foi com muita força por causa do ferro que é pesado, aí furou aí ele ficou se tremendo, mas não muito e ainda agarrado na camisa, aí eu tava furando ele na costela, mas não para agredir.

O preso disse que fugiu com receio da família da vítima. Disse que não contou para a mãe dele e que saiu de casa no domingo, dia 1º de setembro, no dia do crime.

A delegada Claúdia Maciel reforçou que “desde o desaparecimento da vítima a Polícia Civil não mediu esforços, fomos atrás, fizemos diligencias, localizamos o corpo da vítima, não descansamos em nenhum momento até que o acusado e o mandado de prisão preventiva fosse cumprida. Ele confessou o crime, agora vamos ouvir testemunhas, fazer algumas diligências que serão tomadas, para que o inquérito seja finalizado e encaminhado para o Poder Judiciário”.

Acompanhe mais notícias em www.portalpindare.com.br. Siga nossa página no

Facebook.