No Dia da Abolição da Escravatura, entidades e escolas estaduais de Pindaré realizam movimentos culturais

No Dia da Abolição da Escravatura, entidades e escolas estaduais de Pindaré realizam movimentos culturais

A Lei Áurea, que aboliu oficialmente a escravidão no Brasil, foi assinada em 13 de maio de 1888, dando origem ao Dia da Abolição da Escravatura. A data, no entanto, não é muito comemorada por alguns movimentos negro, principalmente por ainda haver discriminação e também porque naquele momento faltou criar as condições para que a população negra pudesse ter um tipo de inserção mais digna na sociedade.

Durante essa data, foi realizado vários movimentos no município de Pindaré Mirim que estão relatados nessa matéria.

III ENCONTRO INTER-REGIONAL 

Durante os dias 12 e 13 de maio o município de Pindaré Mirim recebeu o III Encontro inter-regional de trabalhadores resgatados do trabalho escravo, realizado pelo  Centro de Defesa e dos Direitos Humanos Carmem Bascarán de Açailândia em parceria com o Centro de Defesa de Santa Luzia e apoio das paróquias de Santa Luzia e Pindaré Mirim. O Encontro teve a finalidade de proporcionar a convivência com sobreviventes do trabalho escravo e o conhecimento da realidade desses guerreiros que continuam na luta por dignidade, justiça e liberdade.

encontro

O evento contou com a presença do Secretário de Estado de Direitos Humanos, Francisco Gonçalves, Trabalho e Economia Solidária, Júlio Amim, representante do Ministério de Direitos Humanos da Presidência da República, Adilson Santana de Carvalho, secretário adjunto da juventude, Paulo Romão, dentre outros. Durante os dois houve diversas apresentações culturais, palestras, oficinas, diálogos e encerrou com a assinatura do Termo de Cooperação contra o Trabalho Escravo no Maranhão.

 

CAMINHADA DAS ESCOLAS ESTADUAIS

Na sexta – feira (13), foi a vez das escolas estaduais realizaram uma grande caminhada pelas ruas da cidade, fazendo parte da culminância do projeto “Escravos, nem pensar” realizada pelas escolas estaduais: Centro de Ensino “Nagib Haickel”, Centro de Ensino “Francisco das Chagas Vasconcelos” e Centro de Ensino “Prof.º João Cardoso Campos”. Houve ainda a participação de alunos da escola Horas Alegres de Santa Inês.

escolas

O objetivo do movimento era chamar a atenção da sociedade para um tema recorrente nas cidades, que é a escravidão. Na chegada da caminhada, os alunos cantaram, declamaram poemas e falaram sobre o tema na Praça de Alimentação e Eventos.

escolas02

 

VI ENCONTRO DE NEGROS “IÊ VIVA ZUMBI”

E foi na Praça de Alimentação e Eventos que aconteceu o VI Encontro de Negros “Iê Viva Zumbi” realizado pelo Grupo de Capoeira Nação Palmares. O encontro foi realizado na noite de sexta – feira (13) e contou com a presença do ex – secretário de cultura José Ribamar, o professor David Moraes e demais representantes da cultura.

VII encontro

O idealizador do evento, Dorinaldo Oliveira, destacou a importância desse momento, pois muitos negros ainda são discriminados e agradeceu a todos os presentes. Durante o evento aconteceu diversas apresentações culturais, tais como a Puxada de Rede que foi apresentada por jovens de Pindaré Mirim.

VI encontro02

“É necessário que a gente crie a partir da educação as mudanças de mentalidade e de consciência crítica podem acontecer.A partir do momento que você tem consciência dos eu papel na sociedade, a sua identidade, a partir daí ter um comportamento diferente. Quero parabenizar esse movimento o professor Dorinaldo por manter esse movimento aqui em Pindaré. Pindaré que é um celeiro da cultura popular, especialmente de cultura de origem negra.” Destacou o jornalista, Tom Oliveira.

 

William Junior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *