Por que apoiar e investir em Cultura? – Por Jojoh Fersan

Por que apoiar e investir em Cultura? – Por Jojoh Fersan

colunista-jojoh-fersan

Por Jojoh Fersan

A cultura é um componente essencial para a educação o crescimento e o desenvolvimento de qualquer povo. Por meio da cultura, cada membro de uma comunidade que esteja envolvido nesse processo estará  dando uma enorme contribuição para o bem de toda sociedade. Ao se associar os fatores econômico e social, a cultura serve de base para a construção  da cidadania de um povo.

 

Este é o primeiro motivo para que a iniciativa privada também dê apoio e patrocine o desenvolvimento cultural do município objetivando dias melhores para a sociedade como um todo. Qualquer manifestação cultural, seja de preservação ou de resgate da memória, de criação artística ou toda forma de expressão de identidades é importante porque também gera empregos em vários setores – desde a mão de obra artesanal até a tecnologia avançada de informatização. Além do que, quando se desenvolve em qualidade e quantidade, o entretenimento cultural cria um mercado próprio que se consolida como parte da estrutura do turismo e da indústria cultural de cada município.

 

Por causa disso é que o investimento privado em cultura é um parceiro fundamental de cada município para que cada cidade possa enfim ter o seu desenvolvimento econômico e social. Já está comprovado que empresas que investem com regularidade em atividades culturais confirmam o retorno satisfatório desse tipo de marketing, tanto em termos institucionais como, em alguns casos, inclusive na promoção e divulgação de seus serviços e produtos.

 

A cultura é uma constante vitrine para a promoção da cidadania, e cada empresa que se empenha em incentivá-la contribui para o bem de toda uma sociedade e agrega valores positivos à sua marca. Os motivos para este tipo de investimento são muitos, desde a sua importância social que esta atitude traz até o destaque da sua empresa diante dos concorrentes.

 

Já é do conhecimento de muita gente que alguns teóricos afirmam que, a cada R$ 1 que se investe em cultura, cerca de R$ 6 entram em circulação naquela região. Estima-se que cerca de 5% da população brasileira trabalhe, de alguma forma, com atividades culturais.

 

O mais interessante é que a indústria da cultura inclina-se a ser mais democrática do que outras. Ela envolve muito mais pessoas do que qualquer outra indústria e, apenas um evento em praça pública numa cidade pequena pode gerar trabalho para cerca de 50 pessoas, entre trabalhos diretos e indiretos.

 

Melhor ainda se a cultura estiver diretamente relacionada à indústria do Turismo. Como é o caso de Pindaré e Santa Inês, cidades que não atraem turistas por suas praias ribeirinhas e lagos, mas sim por suas festas populares e comércio e aspecto histórico.

 

São poucos os artistas que conseguem viver de sua arte, e isso não acontece só aqui no Vale do Pindaré, mas em praticamente todo o mundo. É preciso fomentar a arte feita nas mais diferentes instâncias para que não sejamos reféns apenas de outro “Safadão ou Paredão” da vida, e dos produtos culturais de péssimo gosto e sem conteúdo que a televisão e as rádios nos fazem engolir todos os dias.

 

A cultura nos define como povo, ela é a nossa identidade. A cultura merece ser valorizada pelas empresas e pelo poder público de cada município, pois é a maior riqueza de um povo.

William Junior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *