Defesa Civil aponta 2,5 mil famílias afetadas pelas chuvas no Maranhão

Por: William Junior, em 20 /04 /2018, ás08h51

á são 2.525 famílias afetadas pelas chuvas que caíram no Maranhão em abril, que pode se tornar o mais chuvoso dos últimos 10 anos. Os dados atualizados foram divulgados pela Defesa Civil estadual. No total, 12 cidades decretaram situação de emergência. São os municípios de: Marajá do Sena, Pedreiras, Trizidela do Vale, Lago dos Rodrigues, Presidente Vargas, Brejo, São João do Sóter, Tuntum, Caxias, São Luís Gonzaga, Formosa da Serra Negra e Conceição do Lago-Açu.

001

Em Conceição do Lago-Açu, a Defesa Civil registrou ocorrência de inundação e total de 100 famílias desalojadas. No município, cinco escolas, 70 casas e 13 obras públicas foram danificadas.

Outras cidades foram afetadas pelas chuvas, mas ainda não declararam situação de emergência. É o caso de Bacabal, Imperatriz, Codó, Timbiras e Cantanhede. Os municípios de Rosário, Nina Rodrigues, Paulino Neves e Araioses continuam em estado de alerta. Em Tuntum, a 365 km de São Luís, a chuva quase devastou a cidade durante a maior enchente em 30 anos registrada na região. Perto da cidade, um trecho da BR-135 foi destruído com a força de uma enxurrada.

Após o transbordamento do rio Itapecuru em Codó, a 290 km de São Luís, equipes da Defesa Civil e do Exército se mobilizaram para resgatar as vítimas das enchentes. O nível do rio chegou a estar oito metros acima do normal e um ginásio serviu de abrigo para os moradores afetados. Em Trizidela do Vale, o rio Mearim chegou a 5 metros acima no nível normal. A Defesa Civil montou barracas em um ginásio de esportes para abrigar 250 famílias afetadas. Na cidade de Pedreiras, centenas de famílias tiveram que deixar suas casas e uma escola está serviu de abrigo.

Para o Núcleo de Meteorologia da UEMA, as fortes chuvas que caem no Maranhão no mês de abril em 2018 são resultado de uma combinação de fatores ligados ao aquecimento dos oceanos, principalmente ligados ao dipolo do atlântico. Do G1 MA

Acompanhe mais notícias em www.portalpindare.com.br. Siga nossa página no

Facebook.